Slider

  • Biblioteca Escolar Severim de Faria

    Descrição1
  • Biblioteca Escolar Severim de Fariao

    Descrição2
  • Biblioteca Escolar Severim de Faria

    Descrição3
  • Biblioteca Escolar Severim de Faria

    Descrição4
  • Biblioteca Escolar Severim de Faria

    Descrição5

Link back

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

A História Interminável de A a Z de Michael Ende.

Olá, sou o Tiago Clariano, da turma de Línguas e Humanidades do 10º ano. Segui a sugestão da minha professora de Língua Português, apesar de já ter ouvido falar deste blog e decidi escrever. Já escrevo num blog desde Março deste ano e tenho-o utilizado muito como um diário. Escrevo lá letras de músicas que me tocam quando as oiço, livros que estou a ler, crónicas semanais, coisas que se passam comigo e muitas vezes desabafos.Como este é o blog da biblioteca, decidi falar de um livro que me tocou muito e estou a pensar apresentar em Língua Portuguesa no 2º período,
A História Interminável de A a Z de Michael Ende.

O livro trata da história de um rapaz chamado Bastian Bux que rouba um livro de um alfarrabista(um vendedor de livros antigos) e falta ás aulas para o ler. Tal livro é dito envolver tanto as pessoas que o leem que por vezes as absorve lá para dentro. O rapaz lê o livro numa arrecadação da escola. Então, o livro começa a relatar a história de dentro do livro que por sua vez tambem se chama A História Interminável. A história do livro é sobre um país que se encontra sob ameaça de um mal chamado o Nada que transforma em nada tudo o que toca. As pessoas que olhavam para o nada ficavam cegas por momentos e quando voltavam a olhar para outro lado, voltavam a ver. Então, começa a demanda de Atréju, a personagem principal do livro que irá em busca de uma forma de curar a Imperatriz Menina que se encontra doente devido à aparição do Nada. Durante as desventuras de Atréju, Bastian começa a entrar no livro e quando grita, o livro narra os seus gritos, quando chora, o livro narra a sua tristeza. Atréju encontra, no meio da sua demanda, um dragão conhecido por Dragão da Sorte ou Fuchur. O dragão transporta Atréju para onde quer que ele deseje e, no fim, Atréju não consegue curar a Imperatriz mas descobre que tem de encontrar uma criança humana que lhe mude o nome. Como Bastian não percebe que é ele que tem de mudar o nome da imperatriz, ela encontra-se com um velho que está a escrever uma história desde o início dos tempos. E ela pede-lhe que lhe conte a história.Então, o velho começou a contar a história de Bastian quando roubou o livro e foi para a arrecadação da escola para ler. Bastian estava confuso, não podia ser ele. Bastian lá acreditou e entrou no livro. Salvou Fantasia e tornou-se o Imperador Menino. Como imperador, tinha direito a desejar tudo o que quisesse, de forma a criar um mundo novo, uma nova Fantasia.Ao fim de muitos desejos, Bastian começou a esquecer-se da sua vida de antes do livro. Atréju tentava avisá-lo mas Bastian não acreditava.
Não vou contar o fim. Seria estragar o prazer de ler uma grande obra. Ri e chorei muito com este livro, aprendi imenso com ele e recomendo-o a toda a gente que se deu ao trabalho de ler este texto.

4 comentários:

paula vidigal disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
paula vidigal disse...

Tiago, obrigada pela tua participação. Continua...
Sabias que existe o filme - "Never ending story"? Se puderes, vê!

CHAOS disse...

sim, já vi, foi o filme que me fez ler o livro. não gostei muito do filme, o livro é muito mais recheado de surpresas. um livro é sempre melhor que o filme(pelo menos vejo as coisas assim)

PS: este é o meu blog

paula vidigal disse...

Também considero que os livros são mais recheados do que os filmes,pelo menos fazem-nos desenvolver a imaginação, o que é um excelente exercício para o "recheio" das nossas mentes. Mas é bom ver o filme e ler o livro (ou vice-versa) para que um complemente o outro.

P.S. Sugiro-te a leitura de "Eragon" (ou outro da sua trilogia, agora "ciclo"), do jovem Christopher Paolini